Hoje é segunda-feira, 04 de julho de 2022, dia do Operador de Telemarketing e dia da Independência dos EUA (1776) # FUTEBOL. A rodada da série A prosseguiu com os seguintes jogos: São Paulo 2x1 Atlético de Goiás; Avaí 1x2 Cuiabá; América Mineiro 1x0 Goiás e Coritiba 2x1 Fortaleza.
servimar engenharia ColunaRAMOS cargas e cais Papai Noel
HOME
Entrevista
Syngamar
Telex/Aniversários
 Agencias Marítimas
Soamar MA
Amigos da Marinha
Fotos & Imagens
Dicas/Serviços
Capitania dos Portos do Maranhão
The best of web
Fale conosco


Vale
 Consócio Alumar
Itaqui
 Site da Antaq
 Todos os portos
 Cartas Náuticas

Concursos
Prêmio Smart
Escoteiros em Foco
Cais do Jeep
Seminário Landlord
Dia da MULHER
FÓRMULA UM

Osvaldo Rocha
Comandante RAMOS
 Herbert Santos
Telex/Aniversários
 Humor
Ponto de Vista

José Clementino
Elson Burity
 Bento Moreira Lima

Aniversário Alumar
 Carta Pero Vaz
 Dia do Portuário
 Escoteiros em foco
 Nosso Papai Noel
 São Luis 409 anos
 Copa América 2019
 Cais do JEEP
 O Trem da Vale
Museu da Soamar
Presidentes do Brasil
Farol de Mandacaru
TV no Brasil: 70 anos
Hinos do Brasil

Pratimar
Petrobras
Portal Exportador
Banco Central
Receita Federal
Marinha do Brasil
Capitania Maranhão
Conapra
Policia Federal
Obra Prima CE











Capitania dos Portos do Maranhão celebra a data de 157 anos da Batalha Naval de Riachuelo
Considerada data magna da Marinha, o feito eleva a condição de herói o Almirante Francisco Manoel Barroso


Cerimônia de aniversário da BNR
A Capitania dos Portos do Maranhão, sob o comando do Capitão de Mar e Guerra Alexandre Roberto Januário, realizou na manhã desta quinta-feira (09/06), cerimônia militar para comemorar o aniversário de 157 anos da Batalha Naval de Riachuelo, data magna da Marinha do Brasil. O evento celebra a mais importante batalha naval brasileira, ocorrida no dia 11 de junho de 1865, feito esse que, pela vitória eminente de bravos marinheiros, deu notoriedade e consagração de herói o então Comandante da Frota nacional, o Almirante Francisco Manoel Barroso da Silva, também conhecido como Barão da Amazônia.

A data magna serve, também, para que sejam condecorados e promovidos marinheiros que se destacam pelos serviços prestados às suas Capitanias, seja por meritocracia e/ou por tempo de serviço. Na solenidade maranhense - que foi aberta com a execução do Hino Nacional Brasileiro pela Banda do Exército de Caxias, com regência do Subtenente Bacelar -, receberam Medalha e Passador de Prata o 1º Sargento Elton Karlo Pinheiro Figueiredo, o 2º Sargento Jafferson Karslley Beserra Prazeres Costa e o 2º Sargento Jefferson Saldanha Ferreira Menezes. Também foram agraciados Luciano Marques Soares e Marcos Eduardo Silva Santos. No caso, promovidos de terceiro para segundo Sargento.

Durante a solenidade foram lidas duas mensagens referentes a data. A do Presidente da República e a do Comandante Geral da Marinha do Brasil. (As duas estão aqui publicadas da íntegra no final desta reportagem). Por fim, usou da palavra o Capitão dos Portos, CMG Januário que fez questão de agradecer a cada um dos presentes, incentivar e parabenizar os agraciados de sua corporação e lembrar a importância da Batalha de Riachuelo para a Marinha do Brasil.

“A Batalha Naval de Riachuelo, evento decisivo e vitorioso, para conter a invasão paraguaia na Região Sul do Brasil ocorrida em 11 de junho de 1865, foi marcada pela bravura de aguerridos marinheiros e fuzileiros navais, que, incentivados pelos célebres sinais do Almirante Barroso, mostraram o valor de homens do mar, com intocável espírito de superação e de amor à Pátria, sobrepujando todos os desafios daquele tenebroso cenário de guerra”. E acrescentou: “A BNR é um exemplo de trabalho em equipe, por isso quero registrar o meu agradecimento a todos os colaboradores da Capitania dos Portos do Maranhão que diuturnamente colaboram com a nossa missão que é Segurança do Trabalho Aquaviário, prevenção da poluição hídrica e salvaguarda da vida humana”, concluiu o Capitão dos Portos.

A Soamar do Maranhão, através do seu diretor presidente Sílvio Lúcio Aguiar, parceira sempre presente em todas as solenidades da Marinha do Brasil, ofereceu um coquetel ao final da cerimônia aos presentes.

VEJA AS FOTOS DA SOLENIDADE E LOGO EM SEGUIDA AS MENSAGENS DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JAIR MESSIAS BOLSONARO E DO COMANDANTE DA MARINHA, ALMIRANTE DE ESQUADRA GARNIER SANTOS.


  
  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  


MENSAGEM DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Brasília, DF, 11 de junho de 2022.
Assunto: Mensagem do Senhor Presidente da República por ocasião da comemoração do 157° Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, Data Magna da Marinha.

O Brasil sempre contará com as suas Forças Armadas!

Juntas, desde sempre, a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira são os inarredáveis defensores do nosso País e da liberdade do povo brasileiro. Hoje, Data Magna de nossa gloriosa Marinha, comemoramos os feitos dos heróis que combateram em uma das Batalhas mais importantes da Guerra da Tríplice Aliança, a Batalha Naval do Riachuelo.

Em 11 de junho de 1865, há exatos 157 anos, irmanados em um forte sentimento de amor à Pátria, vencíamos aquele que foi o mais difícil combate naval de nossa História, ponto de inflexão da guerra contra o inimigo invasor. A vitória em Riachuelo nos garantiu a integridade territorial e a manutenção dos interesses do Brasil na Bacia do Prata.

Quando nossa soberania foi colocada à prova, verdadeiros heróis brasileiros defenderam a Pátria. A liderança do Almirante Francisco Manoel Barroso da Silva, o patriotismo do Guarda- Marinha João Guilherme Greenhalgh e a bravura do Imperial Marinheiro Marcílio Dias, entre muitos outros que lá estiveram, deixaram como herança, um conjunto de valores morais que inspiram as ações de nossos homens e mulheres na atualidade.

A Marinha esteve presente nos principais acontecimentos de nossa História. Nossos Marinheiros e Fuzileiros Navais cumpriram, e sempre cumprirão, com maestria, a missão confiada à Marinha pela população brasileira, por vezes, às custas da própria vida. Nunca hesitaram, e nunca hesitarão, em colocar os interesses da Nação acima dos próprios, atuando, incondicionalmente, em prol da manutenção de nossa soberania e pela liberdade do povo brasileiro.

Para o Presidente da República, na condição de Comandante Supremo das Forças Armadas, é motivo de grande orgulho dispor de uma Instituição tão profissional, atuante e vibrante. Estou certo de que o povo brasileiro enxerga a Marinha como uma instituição que goza de credibilidade e confiança, que estará sempre pronta a cumprir, de forma irretocável, tudo aquilo que lhe compete em nossa Constituição, qual seja, a defesa da Pátria, a garantia dos Poderes Constitucionais e demais atividades subsidiárias.

Hoje, ao celebrarmos tão importante data, aproveito a oportunidade para estender aos agraciados com a Ordem do Mérito Naval os agradecimentos pelos relevantes serviços prestados à Marinha e ao Brasil. Sintam-se orgulhosos pela comenda que a partir de agora ostentarão. Ela representa muito mais que feitos individuais, é a crença inabalável que o Brasil sempre ocupará um lugar de destaque no cenário internacional, pautado pelos valores mais caros à sociedade, legados por nossos heróis do passado.

Por fim, ao encerrar esta mensagem, reafirmo o comprometimento da Marinha do Brasil com o nosso País, com a Nação brasileira e cumprimento, de modo especial, a todos os Marinheiros, Fuzileiros Navais e Servidores Civis de ontem e de hoje, que, diuturnamente, trabalham, lutam e combatem para que nosso Brasil permaneça como um Estado livre e soberano - berço de um povo resiliente e patriota, digno da grandeza do nosso povo!
Viva a Marinha!


JAIR MESSIAS BOLSONARO
Presidente da República do Brasil

MENSAGEM DO COMANDANTE DA MARINHA

Brasília, DF, 11 de junho de 2022.
ORDEM DO DIA N° 2/2022 - Assunto: 157° Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo – Data Magna da Marinha

Neste 11 de junho, Data Magna da Marinha, ao celebrarmos o 157° aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, é com muita honra que me dirijo novamente aos meus comandados e a todos os patriotas de nossa Nação. Presenciar, içados no mastro, os históricos sinais do Almirante Barroso enche meu coração de orgulho, ao relembrar os heróis do passado, que, por seus exemplos e valores morais, inspiram, ainda hoje, nossos homens e mulheres, e todos os brasileiros vibradores e orgulhosos de sua Marinha. Em 1865, o Brasil, sob o regime imperial, experimentava a consolidação de um sentimento de nacionalidade. Naquele período, a região do Rio da Prata se revestia de especial importância, uma vez que seus cursos d’água possibilitavam o acesso ao interior do País, numa época em que os transportes por qualquer outra forma eram precários. Esse era o contexto por ocasião da eclosão da Guerra da Tríplice Aliança. A invasão de parte das Províncias de Mato Grosso e do Rio Grande do Sul serviu como estopim para que o Brasil empregasse suas Forças, a fim de salvaguardar os interesses do País, o que culminou na principal e mais dura página da História da Marinha, a Batalha Naval do Riachuelo.

Ao longo dos séculos, todas as grandes civilizações que lograram êxito em guerras ou batalhas jamais prescindiram de líderes que, por suas atitudes e exemplos pessoais, foram capazes de inspirar, servindo como farol para todos, sinalizando o melhor caminho. E assim foi com a nossa Força Naval em Riachuelo! Inicialmente, recobremos a atuação destemida do Chefe de Divisão Barroso, que, quando em desvantagem, lançou o seu Capitânia, a Fragata "Amazonas", sob forte fogo da artilharia inimiga, contra as unidades adversárias em sucessivos golpes, afundando três navios e dissipando o fervor de luta dos demais oponentes. A coragem de Barroso manteve aceso o fogo sagrado de nossos marinheiros, garantindo ao Brasil a vitória na batalha.

Devemos também relembrar os exemplos de abnegação e de altruísmo do Guarda-Marinha Greenhalgh. Um jovem de apenas 19 anos, que lutou até seu último suspiro em defesa da Bandeira Nacional. Bandeira símbolo de uma Nação ainda em formação, cujo patriotismo surgia nas águas ensanguentadas do Rio Paraná. Apesar de Greenhalgh ter tombado, os valores herdados pelo povo brasileiro e nossas Forças Armadas nunca sucumbiram às diversas intempéries atravessadas pelo Brasil ao longo de sua História. Em 2022, contudo, optei por enaltecer, especialmente, os atributos de coragem de um dos primeiros heróis nacionais, o Marinheiro Marcílio Dias.

Nascido em Rio Grande, de origem humilde, ainda aos 17 anos ingressou na Escola de Grumetes do Rio de Janeiro, como Praça do Corpo de Imperiais Marinheiros. Estar nas fileiras da Marinha foi o subterfúgio encontrado por sua mãe, a senhora Pulcena Dias, para livrá-lo da perdição e das más companhias das ruas, buscando um futuro melhor para o seu filho. Na Marinha, recebeu a melhor instrução, incorporou valores essenciais aos Marinheiros, tornando-se exemplo de cidadão, sinônimo de respeito à disciplina e de amor à Pátria. Seus atos de bravura eram pelo Brasil, estavam acima de diferenças políticas ou étnicas. Marcílio Dias era exatamente aquilo que se esperava de um fiel defensor de nossas fronteiras e do povo brasileiro.

Militar, Praça de baixa graduação, de reconhecida dedicação à causa da guerra, sucumbiu na defesa da Corveta “Parnaíba”. Como responsável pelos canhões de ré, abandonou o posto apenas para defender seu navio, que havia sido abordado pela tropa inimiga. Conseguiu matar dois, mas não resistiu aos golpes de outros dois, após ter um braço decepado e o corpo crivado com golpes fulminantes. Foi sepultado nas águas do Rio Paraná, onde repousa, desde então, o embrião da bravura e do espírito de sacrifício que inspira o nosso pessoal até os dias de hoje. Muito merecidamente, por seus feitos em Riachuelo, Marcílio Dias foi considerado, por nosso Patrono, o Almirante Tamandaré, homem justo, uma referência de heroísmo e de bravura.

O Almirante Barroso, o Guarda-Marinha Greenhalgh e o Imperial Marinheiro Marcílio Dias pertenceram a uma geração de heróis brasileiros que a despeito de todas as dificuldades, se destacou pelo amor incondicional ao Brasil e ao seu povo, em uma fase de nossa História que foi fundamental para a formação de uma Pátria livre, soberana e indivisível, dotada de grande extensão territorial e valorosos recursos naturais, berço de um povo forte, criativo e trabalhador. Assim, no ensejo da passagem desta Data Magna da Marinha, honrando a memória de nossos antecessores, é meu dever prestar as devidas reverências àqueles que, mesmo diante da inferioridade numérica e da surpresa da ofensiva, jamais esmoreceram, logrando, ao final, a incontestável vitória. Ao todo, foram computadas 102 baixas de honrados brasileiros, em intervalo de poucas horas. Eram pais de família, filhos queridos, que entregaram pela Pátria o seu bem maior, as próprias vidas.

Reafirmo, então, a minha plena confiança que, assim como há 157 anos, estaremos sempre ombreados sob a égide dos mesmos valores que levaram esses patriotas ao maior dos sacrifícios.

Façamos com que seus exemplos guiem a nossa lida diária, como baluartes da soberania brasileira. Que as características dos Heróis de Riachuelo continuem a inspirar Marinheiros, Fuzileiros Navais e Servidores Civis dos dias de hoje, homens e mulheres que estão incondicionalmente prontos para proteger nossas riquezas e cuidar da nossa gente. Desta forma, lastreado pelos feitos dos diversos heróis da Pátria, reitero aos que recebem, hoje, a nossa mais elevada honraria, a Ordem do Mérito Naval, e que compartilham conosco o amor pelo Brasil, a paixão pelo mar e por sua Marinha, sinceros cumprimentos. Exorto a todos para que continuemos, juntos, a combater o bom combate pela união nacional, pelo exercício da verdadeira democracia, pela liberdade e igualdade de todos os brasileiros.

Tendo Deus por testemunha da irmandade do Juramento de Sangue proferido por todos nós, Marinheiros e Fuzileiros Navais, renovo o compromisso da Marinha do Brasil para com a soberania, com a liberdade e com a manutenção de um Estado verdadeiramente democrático para o nosso povo. Esse é, foi e sempre será o farol da Invicta Marinha de Tamandaré!
Viva a minha, a sua, a nossa Marinha!


ALMIR GARNIER SANTOS
Almirante de Esquadra

MENSAGEM DO CAPITÃO DOS PORTOS DO MARANHÃO

A Batalha Naval do Riachuelo, evento decisivo e vitorioso, para conter a invasão paraguaia na região Sul do Brasil ocorrida em 11 de junho de 1865, foi marcada pela bravura de aguerridos Marinheiros e Fuzileiros Navais, que incentivados pelos célebres sinais do Almirante Barroso mostram o valor de homens do mar, com intocável espírito de superação e sobretudo de amor a Pátria, sobrepujaram todos os desafios daquele tenebroso cenário de guerra.

Nos desafios do mundo atual, o exemplo daqueles que se sacrificaram para defender o Brasil ainda é seguido por todos que desejam viver em um país soberano. E neste contexto, aqueles que compõem tripulação do Carcará, imbuídos de muita determinação, espírito de superação, profissionalismo, conduzem de forma irrepreensível as atividades inerentes a segurança da navegação, e nesta ocasião, destacamos, os militares da capitania promovidos e agraciados com suas medalhas em reconhecimento pelos bons serviços prestados à Marinha do Brasil. Aos senhores, meu Bravo Zulu. Continuem nesta Proa.

A Batalha Naval do Riachuelo é exemplo de trabalho em equipe. E não há vitória sem trabalho em equipe. Por isso registro o meu agradecimento a todos os colaboradores da Capitania dos Portos do Maranhão aqui presentes ou representados, que ao longos dos anos contribuem diuturnamente para o cumprimento da nossa missão, "Segurança do Tráfego Aquaviário, Prevenção da Poluição Hídrica e Salvaguarda da Vida Humana”
Pela Segurança dos Rios e Mar, Carcará!


CMG ALEXANDRE ROBERTO JANUÁRIO
Capitão dos Portos do Estado do Maranhão

Lugar: PORTOSMA
Fonte: Redação/Capitania dos Portos do MA
Data da Notí£©a: 09/06/2022

Untitled